Capa / Artigos / Artigo
 
 
Tamanho
   

Uma breve reflexão

    
22/08/2013

Alguns acontecimentos recentes demonstram o quanto estamos atrasados e dependentes das criações alheias. Porém, há um velho habito, onde a grande maioria dos governantes, na euforia após algum protesto, reportagem ou tragédia, insistem em gastar mal o todo e qualquer recurso existentes em busca da solução mágica para problemas anunciados há tempos. O final é previsível: medidas paliativas, ausência de planejamento e danos irreparáveis aos equipamentos públicos e ao erário.

Sabemos que o assunto é mais amplo e permeia várias outras áreas.  Mas é eminente a necessidade de começar a tocar em alguns pontos antes de sermos inundados com os generalismos provocados pelos mal intencionados e promovido pelos mal informados.

Ao observarmos questões que parecem simples, como tecnologias que ajudam ao pequeno agricultor a produzir melhor, com qualidade e não ser obrigado a migrar para as cidades, ou mesmo, tecnologias que permitam prever desastres ambientais, estamos na grande maioria das vezes submetidos a pagar para importar algum novo tipo de solução, fato esse que a realidade nos mostra, está fracassado. Afinal o pequeno agricultou continua sufocado pelo agronegócio inescrupuloso e as tragédias continuam a ocorrer ao mesmo tempo que nossos futuros cientistas continuam no “perrengue”, como nós jovens chamamos habitualmente.

Para além dessas questões mais básicas, os fatos mostram o quanto estamos cada vez mais expostos e nossa privacidade virou produto para grandes corporações e nossa intimidade e ideias trocadas entre companheiros são produtos de interesse internacional.

Até quando vamos nos permitir a tudo isso com o potencial humano capacitado para produzir ciência e tecnologia que possuímos nas nossas universidades? Por que somos obrigados a deixar nossa privacidade nas mãos de quem somente visa lucro? Qual a crise e o medo de tudo o que é publico? A quem isso interessa?

Esses questionamentos iniciais para o debate se torna imprescindível. É necessário pensar e investir em inovações. É urgente criar mecanismos, principalmente a partir do fortalecimento das nossas instituições universitárias, para que sejam realizadas mais pesquisas e que os produtos gerados sejam devidamente valorizados, reconhecidos e, principalmente, absorvidos pelos setores públicos para que tenha serventia ao nosso povo.

Já passou a hora de fazer esse debate com mais seriedade e comprometimento. Cabe a cada um de nós entender que nosso país já foi prejudicado demais ao longo de sua história e não pode continuar a ser visto como apenas um fornecedor de matérias primas. Nosso povo não é mero apertador de parafusos.

É necessário, portanto, as esferas governamentais começarem a pensar mecanismos e práticas de custeio condizentes com a realidade, tendo em vista a necessidade de mudar essa hábito equivocado que em virtude das disputas eleitoreiras se convencionou a chamar de "custo" toda a promoção de investimentos que desenvolvam algum tipo de pesquisa cientifica ou busca encontrar novas tecnologias. É hora de investir no nosso futuro, e para quem não sabe, pensar o futuro custa caro mesmo.

 

*Fabrício Lopes é militante do Partido Socialista Brasileiro (PSB)

 

Autor: Portal PSB 40
 
 
 
 
 
   
Copyright © 2011 Partido Socialista Brasileiro - PSB
SCLN 304, Bloco A, Sobreloja 01, Entrada 63